terça-feira, 19 de março de 2019

DOC E TED: Veja qual é a melhor transferência bancária para você

Qual é o melhor? DOC ou TED?
Você quer fazer uma transferência bancária, entretanto não sabe qual é a melhor opção? DOC ou TED? Neste post vamos explicar suas diferenças e qual poderá atende melhor suas necessidades.

DOC

DOC é a abreviação de Documento de Ordem de Crédito, uma das formas de se transferir dinheiro de uma instituição bancária para outra. Ele possui um limite máximo de R$:4.999,99 reais e as transferências só podem ser feitas por instituições autorizadas pelo Banco Central.O depósito pode ser realizado até às 21h59 e o tempo de efetivação é de 1 a 2 dias úteis. Caso escolha o TED, lembre-se ele não faz transferência para conta poupança.


TED

Já o TED (Transferência Eletrônica Disponível) foi criado em 2002 pelo Banco Central. Ela não possui valor máximo nem mínimo para depósito. Caso, queria uma opção mais rápida de transferência, recomenda-se o TED, o seu tempo de efetivação é de 30 minutos e pode ser realizado até as 17h.


QUANTO CUSTA?

Você não irá encontrar um valor fixo das transições nos bancos. Depende também do seu pacote, existem pacotes que não cobram esse serviço.
Tente fazer as transferências bancárias pela internet ou caixas eletrônicos, nestes locais as taxas são mais baratas e em alguns bancos digitais não há nem cobrança desse serviço.


COMO FAÇO UM DOC OU TED?

Para realizar qualquer uma das transferências e independente do local escolhido você precisará de algumas informações de quem irá receber o dinheiro.São Elas:

- Nome Completo (pessoa física) ou razão social (pessoa jurídica);
- CPF ou CNPJ do destinatário;
- Número da conta;
- Número da agência do recebedor;

POSSO CANCELAR?

Se na hora de preencher os dados houver uma divergência a transferência não é efetivada e o dinheiro é devolvido para a conta de origem, automaticamente. Porém, se caso queira cancelar só será  possível no DOC. O TEC não é possível, pois assim que é autorizado ele já é liberado na conta do destinatário.

0 comentários:

Postar um comentário